5 de dezembro de 2008


descaradamente roubada daqui

Aqui estou eu de novo, bem no meio do trabalho de pesquisa para a criançada (e para os graúdos também) e vai daí encontrei esta imagem que é tal e qual a minha novíssima e odiosa profissão!

2 de dezembro de 2008


E finalmente regresso, após dois meses sem dizer uma palavra!
E regresso assim, só mesmo para queimar o tempo. Estou a dar teste, os miúdos estão todos com umas caras de Marias Antonietas a caminho do cadafalso e eu a apanhar uma seca desgraçada! O que eu pensava ser um teste muito grande, é afinal um teste curto para 90 minutos e nem sequer sei se os posso mandar sair mais cedo da sala. Enfim, o que não era suposto era, a esta altura do campeonato começarem a chegar à última página!
Bom, a ver se brevemente tenho tempo de voltar a escrever!

4 de outubro de 2008

Ursinho Gummy !

Este sou eu, ou ao que parece, somos muito parecidos! Pelo menos, ultimamente há um personagem que me chama muito carinhosamente, "ussinho gummy"! Não sei se é por causa da barriga ou do novo visual de barba rija, o que é certo á que devo ser tão docinho como um ursinho de goma!!!

O bichito até que é queridito... quase tanto como eu!

11 de setembro de 2008

Faz hoje um ano que comecei a cumprir um sonho. Foi uma grande viagem, espero que não tenha sido a viagem da minha vida, ainda sou novo, ainda tenho muito para conhecer, De qualquer modo, foi o sitio que mais gostei de conhecer e foi onde finalmente consegui encontrar parte de mim.

2 de setembro de 2008

Filmes recomendados

Depois da insistência dos muitos fãs, aqui estou eu de volta às postagens!!!lol

Então volto para recomendar dois filmes que acho fantásticos, sem contudo, se darem a grandes fantasias. o primeiro, L'Auberge espagnole (A Residência Espanhola) conta-nos a história de Xavier, um estudante francês que vai estudar para Barcelona, ao abrigo do programa Erasmus, durante um ano. Já o segundo, Les Poupées russes (As Bonecas Russas) mostra-nos o mesmo (ou será outro) Xavier, cinco anos depois, entre Londres Paris e S. Petersburgo.

Xavier, é um jovem com o sonho de ser escritor e ao longo dos dois filmes vai-nos inteirando sobre a sua descoberta de si próprio e sobre a sua relação com o resto do mundo (mais com as mulheres). Vale bem a pena descobrir a forma fantástica de como esta e outras personagens crescem de um filme para o outro (L'Auberge espagnole - 2002; Les Poupées russes - 2005), e como qualquer espectador consegue encontrar ali algumas verdades que lhe servem.

Recomendo-vos estes filmes porque nunca passam no circuito comercial, o que é uma pena, porque retratam realidades muito nossas, do povo da minha geração, e porque têm um não sei quê de tão verdadeiro e comovente... Acima de tudo, porque vale a pena, quanto mais não seja, porque sim.

Não há muito mais que vos possa contar, se puderem, vejam, entretanto, "lets look at the trailer"


L'Auberge espagnole

Les Poupées russes

7 de agosto de 2008

Grandes gestos




Sou um Homem grande e a pequenez das coisas irrita-me. Sou assim e pronto, não suporto que me peçam pouco, não suporto mediocridades, não suporto meios termos, não suporto conformismos.


Mataria por alguns, não morreria por ninguém, mas sem dúvida que morreria com alguém... Peçam-me que mate, que morra, não me peçam palavras pequenas, gestos mundanos, caridades e bem-feitorias. Não me peçam um carinho, uma palavra, um abraço. Eu não abraço, eu possuo, eu não dou carinhos, eu rasgo, eu não falo, eu sangro.


Sint ut sunt aut non sint (sejam como são ou não sejam), e é disto que não posso nunca abrir mão, e é por isto que me bato, que me mato, ou que mato o que há em mim!

4 de agosto de 2008

CAPUCHINHO VERMELHO (Versão Acordo Ortográfico)

A mana dos States mandou-me isto por mail e não resisti a partilhar. Só acho é que não é preciso acordo ortográfico para a história já ser contada assim!


Tás a ver uma dama com um gorro vermelho? Yah, essa cena! A pita foi obrigada pela kota dela a ir à toca da velha levar umas cenas, pq a velha tava a bater mal, tázaver? E então disse-lhe:
- Ouve, nem te passes! Népia dessa cena de ires pelo refundido das árvores, que salta-te um meco marado dos cornos para a frente e depois tenho a bófia à cola!

Pá, a pita enfia a carapuça e vai na descontra pela estrada, mas a toca da velha era bué longe, e a pita cagou na cena da kota dela e enfiou-se pelo bosque. Népia de mitra, na boa e tal, curtindo o som do iPod...

É então que, ouve lá, salta um baita dog marado, todo chinado e bué ugly mêmo, que vira-se pa ela e grita:

- Yoo, tá td? Dd tc?

- Tásse... do gueto ali! E tu... tásse? - Disse a pita

- Yah! E atão, q se faz?

- Seca, man! Vou levar o pacote à velha que mora ao fundo da track, que tá kuma moka do camano!

- Marado, marado!... Bute ripar uma até lá?

- Epá, má onda, tázaver? A minha cota não curte dessas cenas e põe-me de pildra se me cata...

- Dasse, a cota não tá aqui, dama! Bute ripar até à casa da tua velha, até te dou avanço, só naquela da curtição. Sem guita ao barulho nem nada.

- Yah prontes, na boa. Vais levar um baile katéte passas!!!

E lá riparam. Só que o dog enfiou-se por um short no meio do mato e chegou à toca da velha na maior, com bué avanço, tázaver? Manda um toque na porta, a velha 'quem é e o camano' e ele 'ah e tal, e não sei quê, que eu sou a pita do gorro vermelho, e na na na...'.

A velha abre a porta e PIMBA, o dog papa-a toda... Mas mesmo, abre a bocarra e o camano e até chuchou os dedos... O mano chega, vai ao móvel da velha, saca uma shirt assim mêmo à velha que a meca tinha lá, mete uns glasses na tromba e enfia-se no VL... o gajo tava bué abichanado mêmo, mas a larica era muita e a pita era à maneira, tásaver?

A pita chega, e tal, e malha na porta da velha.

- Basa aí cá pa dentro! - Grita o dog.

- Yo velhita, tásse?

- Tásse e tal, cuma moca do camâno... mas na boa...

- Toma esta cena, pa mamares-te toda aí...

- Bacano, pa ver se trato esta cena.

- Pá, mica uma cena: pa ké esses baita olhos, man?

- Pá, pa micar melhor a cena, tázaver?

- Yah, yah... E os abanos, bué da bigs, pa ke é?

- Pá, pa poder controlar melhor a cena à volta, tázaver?

- Yah, bacano... e essa cremalheira toda janada e bué big? Pa que é a cena?

- É PA CHINAR ESSE CORPO TODO!!! GRRRRRRRR!!!!

E o dog manda-se à pita, naquela mêmo de a engolir, né? Só que a pita dá-lhe à brava na capoeira e saca um back-kick mesmo directo aos tomates do man e basa porta fora! Vai pela rua aos berros e tal, o dog vem atrás e dá-lhe um ganda-baite, pimba, mêmo nas nalgas, e quando vai pa engolir a gaja aparece um meco daqueles que corta as cenas cum serrote, saca de machado e afinfa-lhe mêmo nos cornos. O dog kinou logo ali, o mano china a belly do dog e saca de lá a velha toda cheia da nhanha.
Ina man, e a malta a gregoriar-se toda!!!

E prontes, já tá...

(Autor desconhecido)

31 de julho de 2008

Prometo que volto

Talvez seja desta...
Estou a preparar uma ideia para regressar em força a este blog, mas enquanto não, deixo-vos com as novidades:
Ora novidades,
então é assim...
pois que ultimamente,...
ora, novidades...
Bem, sei lá...
Tenho a sensação que tudo mudou e que tudo continua tão na mesma, chega a desiludir! Ou será que me sinto ainda pior?
Se calhar o que me faz falta é mesmo falar para o mundo aqui do meu cantinho...

13 de junho de 2008

Fechado!


Então é assim:

Já voltei às capitais depois de uns dias na terrinha da mamã.

Entretanto "casei" e estou a fazer uma pausa nas encaixotagem para contar aos amiguitos que por aqui passam que estou a mudar de casa, portanto, nos próximos tempos, e enquanto não tiver net na nova casa, os posts e as respostas aos comentários vão rarear.

Um grande abraço a todos e

ATÉ BREVE!

29 de maio de 2008


Daqui ao S. João
Está de férias o Renatão!
LOL FINALMENTE DE FÉRIAS!

19 de maio de 2008

My baby just cares for me

(achei delicioso)


My baby don't care for shows

My baby don't care for clothes

My baby just cares for me

My baby don't care for cars and races

My baby don't care for high-tone places

Liz Taylor is not his style

And even Lana turners smile

Is something he can't see

My baby don't care who knows

My baby just cares for me

Baby, my baby don't care for shows

And he don't even care for clothes

He cares for me

My baby don't care

For cars and races

My baby don't care for

He don't care for high-tone places

Liz Taylor is not his style

And even liberace's smile

Is something he can't see

Is something he can't see

I wonder what's wrong with baby

My baby just cares for

My baby just cares for

My baby just cares for me


13 de maio de 2008

Uma parede cá de casa!

Ora aqui está uma nova aquisição para uma parede cá de casa.
Tem uma história engraçada, muito longa que para o caso não interessa nada. Digo só isto, é uma prenda que me foi dada para substituir outra que me trazia más recordações! Adianta? Claro que não, sempre que olho para esta silhueta de cidade presa por heras só vejo um coração com asas! Enfim, adorei e já está na parede!

4 de maio de 2008

Deixa-me ser...

... o que não existe
e só para ti é.

Um passo doble
ou um passo de magia triste.

Um homem sem nome esquecido
uma razão sem razão
amante bandido
calado e fervoroso na paixão

Anjo da guarda
Eclipse de lua cheia

Um toque
Num sussurrar
Um enlace...

28 de abril de 2008

Fim de semana...

... Em grande!

Sábado, praia, praia, praia!
Domingo, mais praia e aturar duas crianças chatas, uma de 6 anos que tem todo o direito de ser chata! E outra de 32 que eu adoro assim chata!

Criança chata de seis anos: - Quando chegarmos à praia posso ir ao banho?
Pai: - Não, só às cinco e meia!
Cinco minutos depois...
Criança chata de seis anos: - Quando chegarmos à praia posso ir ao banho?
Pai: - Não, só às cinco e meia!
Mais cinco minutos...
Criança chata de seis anos: - Quando chegarmos à praia posso ir ao banho?
Pai: - Não, só às cinco e meia!
Eu: - Inês (criança chata de seis anos), falta uma hora para ires ao banho! Vais passar este tempo todo a perguntar isso?
Criança chata de seis anos: Sim!

Rendi-me!

(Obrigado a ambos pelo dia fantástico de Domingo!)

16 de abril de 2008

Eu todo babado!

Venho mais uma vez recomendar-vos um blog o duplOOlhar - http://duploolhar.blogspot.com/.
Desta feita, um blog de fotografia onde podem encontrar fotografias de vários temas, de entre os quais, natureza, paisagens, animais, arquitectura, entre outros.
Os autores do blog, R&J, na sua extrema habilidade, tratam as fotografias de modo a proporcionar-nos a contemplação da beleza no seu melhor. Já a autoria das fotografias é partilhada, não só pelos autores do blog, como também por alguns amigos (uns profissionais, outros nem por isso) que, generosamente, cedem algumas das suas experiências neste campo.
E é aqui que eu entro!
Ora ide lá espreitar o blog, especialmente os posts À deriva e O guardião! E agora digam lá que não está aqui um verdadeiro potencial!
Eis ao que se propõem os autores R&J. Acho que estão a conseguir!
«Um olhar despreocupado ou uma observação intensa, um momento marcante ou uma foto "roubada", um pôr do sol ou uma chuva persistente... São tantos os momentos que temos aprisionado dentro de ficheiros digitais que decidimos expô-los e dar a conhecer ao mundo o nosso duplo olhar.»

12 de abril de 2008


Hoje sinto-me assim...


com o peso do mundo à cabeça.

11 de abril de 2008

Hoje estou com mão!


Isto hoje está a correr bem na cozinha!

Para o almoço fiz um arrozinho de bacalhau com broculos, assim ao malandrinho, que estava de se comer e chorar por mais. Agora para o lanche fiz este bolo que era para ser um pão-de-ló normal, que se transformou entretanto em bolo de iogurte e mesmo antes de chegar à forma, zás, bolo mármore!

Está bom e recomenda-se!

2 de abril de 2008

SETE PECADOS

Como é sabido, desde há séculos, a Igreja católica estabeleceu os 7 pecados capitais de forma a orientar os seus seguidores, sendo estes pecados, quando cometidos, um acesso garantido ao inferno!
São eles:

Soberba; Avareza; Luxúria; Inveja; Gula; Ira; Preguiça

Ora, como é de conhecimento geral, porque se tem falado muito sobre isso, a Igreja fez uma espécie de adenda revitalizante desta lista e acrescentou aos velhinhos 7 mais alguns de entre os quais:

Fazer modificação genética; Poluir o meio ambiente; Causar injustiça social; Causar pobreza; Tornar-se extremamente rico; Usar drogas

Contaram? Falta um, certo? Falta um para dar conta certa, digo eu! É para podermos trautear a cantilena 7 e 7 são catorze, com mais 7, 21, tenho 7 namorados e não gosto de nenhum!
Bem, estou a divagar!
Eu notei que faltava um e como bom cidadão vou remeter este post à secção de pecados do Vaticano e sugerir um novo pecado capital:

TELEMOVEL LIGADO NA AULA! (eis o segundo nº 7)

1 de abril de 2008

Estou indeciso!

Não sei o que hei-de fazer. Estou de folga e tenho a casa para limpar (está mesmo precisada!). Por outro lado está um dia óptimo para ir dar uma voltinha e descobrir um bocadinho mais desta cidade que me dá asilo. E mais, a ficar em casa, tenho que aturar a Eclipse que está pela milésima vez este ano com o cio!




(vê-se pelo tamanho das imagens que já tomei uma decisão,lol)

27 de março de 2008

Não sei o que pensar!

TVNET - Transsexual grávido rejeitado pela família

Não sei bem o que pensar desta notícia!
Quem me conhece sabe que não sou do tipo de transportar bandeiras, sejam elas quais forem, minhas ou dos outros, no entanto, e apesar de ser quem sou (uma vez mais para quem me conhece), isto está a fazer-me alguma confusão! Eu diria que talvez valesse a pena pensar um bocadinho antes de tomar atitudes drásticas, pensar um bocadinho no que será a vida depois da mudança e quais são as limitações que a mudança pode provocar. Nada disto se prende com qualquer tipo de discriminação (sempre me caguei para o que os outros pensam) nem com qualquer tipo de ideologia mais liberal ou mais conservadora, mas faz-me confusão. Acho que tenho de assimilar um bocadinho!

25 de março de 2008

Novo blog recomendado



Visitem o novo blog do Ricardo - MetalBeads2 - http://metalbeads2.blogspot.com/ . Vão encontrar peças fantásticas, únicas e cheias de criatividade. Aconselho vivamente e atesto a idoneidade.

Deixo-vos aqui duas das peças que vão encontrar neste blog e que são das minhas favoritas. São um conjunto de pendente e brincos.

Pendente trabalhado em diversos metais prateados, adornado com missangas roxas e diversas pedras de vidro, também roxas.

Suspenso numa corrente metálica prateada.

Disponível por encomenda.

@12.00

Um trabalho intrincado em metal, adornado com missangas e pedras roxas.

@6.00

8 de março de 2008

Dia Internacional da GAJA


Que saudades de todas elas, as minhas gajas do tempo da faculdade!


Para vos, minhas lindas, e vocês sabem quem são, aqui fica un pequeño regalo neste dia que é o vosso!








Um beijo enorme Maria, Rute, Sandra, Guida, Sofia, Luísa.
E já agora para a Ti Teresa (a minha mãe) também, só porque é a maior mulher que conheço!

Quem é que lhes ensina estas coisas?

Esta é a entrada do hi5 do meu sobrinho, o Diogo! Ora bem, liguei-lhe ontem e diz-me ele: "Tio, vai ver o meu hi5 que está mudado". Na verdade, diz-me isto sempre que falo com ele! E pronto, lá fui eu fazer a vontade ao pirralho e deparo-me com isto:

Sabes quem sou eu? Eu sou apenas eu! Não há nada para contar, já sabem que sou bonito, mas na verdade até sou. Uma anedota para acompanhar: A professora diz ao Joãozinho: -Joãozinho diz três partes do nosso corpo começadas por « j » -Está bem. Joelhos, jolhos e jouvidos! Percebeste? Se não percebeste quer dizer que és um bocadinho " burro "...lool...estou a brincar... Este é o meu hi5. Adeus!!!

E pensei eu: "Porra, estou mesmo a ficar velho"... mas depois consolei-me: "Sempre aprendeu alguma coisa comigo"!
Assim é que é Di, mais giros que nós se não for impossível, é muito difícil!
(não é tão bom saber que as pessoas de quem gostamos também gostam muito delas?!)

7 de março de 2008

A volta do tijolo


Hoje de manhã, quando vinha do trabalho, peguei-me com uma miúda aí com uns 16 anos à conta desta nova moda de andar a ouvir música nos telemóveis sem auricular! Isto cá para mim é um revivalismo da moda do tijolo dos anos 80, e eu, francamente, não lhe acho piada nenhuma.

Bem, peguei-me com a menina mais pela falta de educação dela, mas a música serviu-me de alavanca. Enfim, íamos no autocarro e eu ia a ouvir música no mp3 e ainda conseguia ouvir a música do telemóvel da menina que ia 3 bancos atrás. Levantei-me e fui pedir-lhe para baixar a música, não gosto de kizombas e não sou obrigado a ouvir a música dela. Expliquei-lhe que para isso é que servem os auriculares, além do mais notei que havia mais gente incomodada. Ora, a menina disse: "E o que é que tu tens a ver com isso?" Bem, mandei-me ao ar! TU? TU? Mas a menina andou comigo nas escola? de certeza que não, ou teria alguma educação! Bem, o que é certo é que a moça levou com a minha má disposição matinal e desligou o telemóvel.

Sai na paragem seguinte a dizer que afinal quem está mal que se mude e podia perfeitamente apanhar o autocarro seguinte! Acho que os auriculares são para ser usados, desde que com moderação, não há necessidade nenhuma de ouvir a música no máximo e há que respeitar o espaço que é comum.

POR FAVOR KIZOMBAS É QUE NÃO!

A PUTA da Insónia...

A puta da insónia é para isto que me dá, para escrever sem sentido, para razoar sem razão, para fingir que sinto e sentir o que finjo!





O som do que não ouço é agudo,
Agudo como aquele espeto
Espeto de rosa que me pica
E que eu não sinto
E que eu não ouço



Porque
Eu quero sentir,
Mesmo que agudo
Mesmo que espete


Eu quero sentir,
Ouvir e ver.
Ver-te a ti
Sentir-te, Amar-te


E que seja Amor
Grave
Que não pique
Que não faça doer.

2 de março de 2008

Como prometido, volto ao assunto do post anterior para mostrar a minha pasteleira preferida em plena actividade! Eu diria, a dar um show! Só um pequeno pedido... Lá porque agora és a chocolatier do ano, por favor não deixes de fazer aquele bolo fantástico de cenoura e noz que eu adoro! Já agora, arranjas a receita?

26 de fevereiro de 2008

À minha pasteleira preferida!


Parabéns!

Porque a vitória de um amigo também é uma vitória minha, tenho que dar os parabéns à chocolatier portuguesa do ano, eleita por um júri competente no VI Festival Internacional de Chocolate. A detentora da coroa chama-se Sílvia Sofia Henriques e, infelizmente, a única referência que encontrei ao resultado do concurso está aqui, mas prometo que assim que tiver mais novidades, volto ao assunto.

20 de fevereiro de 2008

Alicia Keys-Where do we go from here




Não é o video, que aparentemente ainda não existe, mas a música só por si vale tudo! Sem dúvida a minha favorita do album "As I Am".

We're at the crossroads, my dear
Where do we go from here?
Maybe you won't go, maybe you'll stay
Oh I know I'm gonna miss you either ways
It's such a lonely road
_
Where do we go from here?
All I can do is - follow the tracks of my tears
Oh
_
When I cry your name
Am I calling in vain?
Oh and am I waiting only to drown in pain
Oh
Don't you do it
No, said don't you leave me this way
I don't know
If I can lift my head and face another day
Ooh it's such a lonely road
_
Where do we go from here?
All I can do is - follow the tracks of my tears
You seem now the kind of girl who's lost and looking for direction
(Who could this be? Staring at me)
When I'm looking in the mirror trying to find a resolution
(Me too far gone, to find my way home)
_
Where do we go from here?
All I can do is - follow the tracks of my tears


Aeróstato


Nas últimas 48 horas trabalhei 32, não dormi antes nem durante e o dormir depois está a afigurar-se um tormento. Comer, não consigo, doí-me o estômago, tenho comido o essencial para não cair para o lado. Enfim, chegou o momento de lavar a cara e o corpo e enxaguar a alma. Chegou a hora em que tenho tempo para mim, em que tenho tempo para deixar de olhar à minha volta. Chegou a hora de me agarrar àquela corda pendurada de um qualquer aeróstato de resgate com destino desconhecido. Chegou a hora de me afastar do epicentro sísmico em que se transformou a minha vida. Chegou a hora de fugir.

17 de fevereiro de 2008

Lágrimas secas correm-me pelo rosto
e quando as amparo com as mãos
vejo-as da cor do sangue, rubras, quentes.
_
São de um sangue que me ferve por dentro
e teima em sair,
são de um sangue contaminado que me envenena,
que me arruína o coração,
que me rasga as veias
com que me sinto frio e febril.
_
Largo num choro desesperante
e tento libertar-me de ti
sangue maldito
que me mantinhas vivo e agora me queres matar
expulso-te de mim
e mesmo assim não vais...
_
Estás-me por dentro.
És-me como nunca ninguém conseguirá ser.
... E tudo acaba. Porque sou como sou e não pretendo mudar, porque todas as palavras que ouvimos são tão falsas como uma brisa do sul, porque quando a fraqueza nos bate nos olhos a cobardia é mais forte e vence.
Nem tudo acaba, um sentimento não se apaga do dia para a noite, mas aprende-se a afoga-lo bem no fundo das nossas mágoas. Obrigado pelo tiro certeiro, pelo silêncio e pela rapidez com que viras as páginas da tua vida, assim caio na realidade tão depressa que quase nem me dá tempo de sofrer por um "poderá ser que tenha sido ou será". Sofro simplesmente pelo que poderia ter sido! Porque sei que te amo como nunca amei ninguém na vida, mas também sei que me amo muito mais.

16 de fevereiro de 2008

Porque o saber não ocupa lugar!

Alevantar
O acto de levantar com convicção, com o ar de 'a mim ninguém me come por parvo!... alevantei-me e fui-me embora!'.
Aspergic
Medicamento português que mistura Aspegic com Aspirina.
Assentar
O acto de sentar, só que com muita força, como fosse um tijolo a cair no cimento.
Capom
Porta de motor de carros que quando se fecha faz POM!
Destrocar
Trocar várias vezes a mesma nota até ficarmos com a mesma.
Disvorciada
Mulher que se diz por aí que se vai divorciar.
É assim.
Talvez a maior evolução da língua portuguesa. Termo que não quer dizer nada e não serve para nada. Deve ser colocado no início de qualquer frase. Muito utilizado por jornalistas e intelectuais.
Entropeçar
Tropeçar duas vezes seguidas.
Êros
Moeda alternativa ao Euro, adoptada por alguns portugueses.
Falastes, dissestes.
Articulação na 4ª pessoa do singular. Ex.: eu falei, tu falaste, ele falou, TU FALASTES.
Fracturação
O resultado da soma do consumo de clientes em qualquer casa comercial. Casa que não fractura... não 'predura'.
Inclusiver
Forma de expressar que percebemos de um assunto. E digo mais: eu inclusiver acho esta palavra muita gira. Também existe a variante"Inclusivel".
A forma mais prática de articular a palavra MEU e dar um ar afro à língua portuguesa, como 'bué' ou 'tá-se'. Ex.: Atão mô, tudo bem?
Nha
Assim como Mô, é a forma mais prática de articular a palavra MINHA. Para quê perder tempo, não é? Fica sempre bem dizer 'Nha Mãe' e é uma poupança extraordinária.
Númaro
Já está na Assembleia da República uma proposta de lei para se deixar de utilizar a palavra NÚMERO, a qual está em claro desuso. Por mim, acho um bom númaro!
Parteleira
Local ideal para guardar os livros de Protuguês do tempo da escola.
Pitaxio
Aperitivo da classe do 'mindoím'.
Prontus
Usar o mais possível. É só dar vontade e podemos sempre soltar um 'prontus'! Fica sempre bem.
Prutugal
País ao lado da Espanha. Não é a Francia.
Quaise
Também é uma palavra muito apreciada pelos nossos pseudo-intelectuais. Ainda não percebi muito bem o quer dizer, mas o problema deve ser meu.
Stander
Local de venda. A forma mais famosa é, sem dúvida, o 'stander' de automóveis. O "stander" é um dos grandes clássicos do "português da cromagem".
Tipo
Juntamente com o 'É assim', faz parte das grandes evoluções da língua portuguesa. Também sem querer dizer nada, e não servindo para nada, pode ser usado quando se quiser, porque nunca está errado, nem certo. É assim... tipo, tás a ver?
Treuze
Palavras para quê? Todos nós conhecemos o númaro treuze. Eu estou desconfiado que o 'u' do treuze vem do 'quatorze'
E a minha perferida:
Quaisqueres
Costumo responder que não quero nenhum!

15 de fevereiro de 2008

My Sweet Valentine



"Flowers

I want to buy you flowers
it's such a shame you're a boy
but when you are not a girl
nobody buys you flowers

I want to buy you flowers
and now I'm standing in the shop
I must confess I wonder
if you will like my flowers

You are so sweet and I'm so alone
oh darling please
tell me you're the one
I'll buy you flowers
I'll buy you flowers
like no other girl did before

You were so sweet and I was in love
oh darling don't tell me
you found another girl
forget the flowers
because the flowers
never last for ever
never last for ever
never last for ever
my love"

12 de fevereiro de 2008


Estou assim, prostrado, caído de joelhos numa almofada de pregos. Sinto-me vazio, oco, sem um rumo, um destino, uma luz que me guie, uma mão que me puxe ou simplesmente segure a minha.


Estou assim a tentar contemplar um pôr-do-sol à meia noite, a tentar contar as estrelas ao meio dia e sem qualquer vontade de saber o que está para além da minha janela, para além dos meus olhos, para além de mim.


Vazio, oco, sem vontade de ser, de estar ou sentir. Sinto-me mais que sozinho, talvez abandonado, largado, desprezado. Sinto que me corre ar nas veias e que os meus pensamentos adormecem a cada piscar de olhos. Sinto o ronronar da minha gata, os carinhos que me faz e nada me consegue aquecer a alma. Acho que me deixou em paz por uns tempos, acho que realmente sou só corpo e a minha alma, o meu espírito, a minha essência desistiu de um corpo que não a chama para viver.


Sinto-me quase a não me sentir.

9 de fevereiro de 2008

Sabedoria Popular!

Quando começou o ano a minha mãe disse-me um ditado popular em que não quis acreditar (acho que ninguém quer)! Como todos estes adágios, tem o seu quê de ridículo, de plausível e de inexplicável. E reza assim o ditado:

"Ano bissexto e Páscoa em Março, ano de fome e de mortaço"

Ridículo, certo?

P.S. Este mês já morreram 2 pessoas que conheço!

26 de janeiro de 2008

Palito pneumático

Há algum tempo, estava a falar com um ilustre desconhecido e o tema enveredou pelas boas maneiras, pelo saber estar e falar, ou pela falta de tudo isto, mais exactamente. E de como estas coisas podem arruinar um príncipe... Vai dai, quaisqueres para cá, depois de muitos hades e prontos, fostes, vistes e fizestes para lá, sai-se ele com a do "palito pneumático"! E eu, QUÊ? Não conheço, e aposto que vocês também não.
Aqui vai a explicação:

«Palito pneumático: exercício de contracção interna da bochecha na tentativa de sacar resíduos de comida da dentuça esfuracada. Operação quase sempre inglória mas cuja sonoridade vigorosa (streeeeeeeeeeeeeeeechkttttttt) atravessa a extensão da mesa, ferindo de morte os outros convivas.»

Conhecer até conhecem, não estavam era a atinar com o fenómeno!

22 de janeiro de 2008

Nova identidade!

Desde sempre, quando me perguntam como me chamo, respondo, simplesmente Renato. De há alguns tempos para cá, sempre que estendo a mão a um desconhecido, identifico-me como Renato Araújo, mas agora tudo vai mudar.
Tenho constatado que está muito em voga o uso de três nomes, e como toda a gente sabe, eu tenho a mania! Assim sendo, e a partir de hoje, passo a identificar-me como Renato Miguel Araújo!
É mais in, sei lá!

21 de janeiro de 2008

O fenómeno! TROLHAS TIME


Não sei se já repararam, mas pelos passeios das metrópoles nacionais dá-se um fenómeno interessante aí pela hora do meio-dia! Estão a pensar em dejectos caninos (que é como quem diz merda de cão)? Poderia ser, mas isso é sempre, não é só ao meio-dia! Então o fenómeno de que falo é o TROLHAS TIME! Esta foi uma expressão inventada pela minha amiga Rute Pinto, ou talvez por mim, já não sei bem, mas que era muito nossa e que usávamos frequentemente à hora de almoço, no caminho FLUP – Reitoria quando íamos almoçar. No Porto e em Lisboa, do meio-dia às duas é vê-los espalhados pelos passeios a aproveitar a sombrinha de uma qualquer árvore ou andaime, a mandar bitates, postas de pescada e piropos às meninas que vão passando! Comecem a reparar, chega a ser engraçado. Uma sugestão que aqui deixo é que se tirem fotos a estes seres típicos da nossa cultura e se façam postais para impingir aos camones!!!

Aldrabões e aldrabices

Pois, como já aqui disse, ando à procura de casa. Hoje fui ver mais duas e na última aconteceu-me uma cena engraçada, que não tem tanta graça assim, mas adiante! Vai daí então, estava eu à espera da menina agente imobiliária, ela aparece e tomamos um caminho que me era familiar, chegamos a um prédio com um elevador onde mal cabem duas pessoas (imaginem-me, imenso como sou, num elevador de meio m²) que também me era familiar e subimos a um 4º andar, adivinhem, super familiar! Quer isto dizer, já tinha visitado aquela casa através de uma outra agencia – Elisabete & Jonny - que (agora vem a parte engraçada) pedia 75000€ pelo buraco. A agência que me mostrou a casa hoje – Remax – pediu-me 70000€. Ora o buraco nem 60000€ vale!
Enfim, mais duas imobiliárias excluídas! A primeira por razões óbvias, a segunda pela técnica manhosa que usam. Passo a explicar. Quando decidi comprar casa estabeleci um limite de preço para uma casa habitável e perto de transportes, ora, os srs. da Remax insistem em mostrar verdadeiros buracos, perfeitamente inabitáveis , a caírem de podres para depois virem com o discurso “temos mais ali adiante uma casa melhorzinha mas um bocadinho mais cara”. Pois, não obrigado!
Ai que dor de cabeça!

11 de janeiro de 2008

Genial de tão estúpida ou estúpida de tão genial

Foi assim uma saida minha num comentário ao post As pétalas... do blog
Monólogos...colectivos!:

Por alguma coisa se diz que tudo o que vivemos nos ajuda a crescer. A gente vai amargurando, as amarguras vão caindo-nos aos pés e transforma-se em nada mais que merda. E como é sabido, a merda é um óptimo fertilizante!

Isto deve ser a minha estupidez natural a dar frutos!

10 de janeiro de 2008


Caríssimos amigos, estou a meter-me numa aventura daquelas! Bem, nada que quase toda a gente não faça, mas que a maioria não esperava de mim. Então vai assim: vou comprar casa. Procuro um cafofo barato, quase dado, habitável, que o banco queira pagar, por aqui na terra dos mouros e arredores. Enfim, uma dor de cabeça!

Tenho visto cada casebre que dá dó e com uns preços de "amandar" as mãos à cabeça!

Assim sendo, estou aberto a sugestões de todo tipo. Se souberem de algum milionário que esteja disposto a dispensar-me um dos seus palácios, ou se conhecerem um "rés do primeiro andar" baratinho, façam favor de dizer. Se conhecerem manhas, truques, escapatórias, rezas e mezinhas, façam o favor de dizer também!

Desejem-me sorte e prometo que depois convido para a inauguração! (e se precisarem que empreste a casa para actividades de cariz lúdico-procriativo, cobro comissões baixinhas)