24 de setembro de 2011

Contracorriente


O melhor filme que vi nos últimos anos!

14 de setembro de 2011

6 de setembro de 2011

Onze anos

Um dia a minha mãe disse-me que se sonhasse com alguém que tivesse morrido, devia rezar-lhe uma oração. Possivelmente essa pessoa necessitaria da minha ajuda. 
Disse-te isto no último dia que nos vimos. Hoje sonhei contigo e pensei em ti todo o dia, como não podia deixar de ser, hoje é o primeiro dia de uma semana que para sempre marcará a minha caminhada. Não te dou uma oração, dou-te a tua música preferida, a que me pediste e a que te prometi e a que que cumpri. Obrigado por me teres escolhido a mim para os últimos momentos, obrigado por tudo o que me ensinaste e tudo o que me mostraste, mesmo já sem poderes falar, só de segurar a minha mão até ao teu último momento. 
Passaram quase onze anos, dentro de uma semana ouvirei de certeza esta música outra vez, agradecer-te-ei outra vez e outra vez vou sentir o peso do teu corpo a fugir-me da mão. Espero que, onde quer que estejas, tenhas encontrado o que procuravas, o que procuramos tantas vezes juntos. Eu ainda não sei se encontrei. Realizei todos os sonhos que te segredei durante esta semana há onze anos atrás. TODOS, os meus e os teus. TODOS. Construí sonhos novos e estou a trabalhar neles. Encontrei alguém que amo - o sonho maior que tinhas a certeza de que nunca nenhum de nós cumpriria. Descobri que estávamos enganados em relação a muitas coisas, principalmente iludidos em relação ao mundo. Tenho a certeza de que, se tivesses querido lutar, hoje serias um homem feliz, mas não foi esse o caminho que escolheste e, como te apoiei então, continuo a apoiar-te e, principalmente, a entender-te hoje.
Onde quer que estejas, olha por mim, eu canto por ti. Talvez um dia possa ver a felicidade espelhada no teu rosto. Um abraço, amigo.


8 de agosto de 2011

Gracias

Una musiquita que se repite en dos versiones impresionantes. Buenísimo para oír dependiendo del estado de ánimo! Gracias al amigo que se acordó de enviarme los vídeos con el mensaje simple "ya sé que lo necesitas"!


7 de agosto de 2011

Suponhamos...


Numa conversa com alguém, esse alguém prega-te com uma mentira descomunal. No decorrer da conversa, o que ouve a mentira dá a entender que sabe que é mentira, ambos estão conscientes da mentira. Além do mais ambos estão conscientes que quer a mentira quer a verdade são fracturantes na continuidade dessa ou outras conversas. Por isso, tudo se joga nesse momento. O que se faz?

3 de agosto de 2011

León 2

El día mejoró considerablemente! LA noche de tapas y COPAS fue fantástica. De los 27 iniciales, quedamos 5 para la última copa... Un Rioja casi perfecto!

1 de agosto de 2011

León


Primer día en León y tomo me parece un poco mejor. Ayer el viaje fue terrible, no por el viaje en si, sino por lo tormento de tener que marcharme en una altura que no me gustaría alejarme para nada, principalmente porque el año está siendo, seguro, uno de los peores de mi vida. Ayer tuve el placer de compartir mi tarde con Madrid, la ciudad que mejor me entiende, no sé, me parece que un día será nuestro día. Luego la llegada a León, la habitación pequeña, la ciudad que me pareció un poco rara... no sé todo me pareció oscuro. Hoy todo ha ido mejor, encontré algunos compañeros portugueses, buenas personas, aunque muy distintos de mi, hablé mucho español, ya aprendí algo nuevo, vi una película que me gustó, comí comida española (para mi siempre un placer), tapas y buen vino. Tengo alguna dudas, todavía, sobre el valor del curso para mi profesión, me parece que este año no será tan provechoso como el año pasado, no solo por el curso sino por el grupo... pero aún tengo 13 días.
Bueno, más que todo, la mayor ventaja de estar en España es que no me falta el AquArius! :D



29 de julho de 2011

Saudade

Eu que sempre disse que não sei o que é saudade, hoje, com esta música, sinto, genuinamente, saudade de momentos fugazes em que tenho a ligeira impressão de que fui feliz, saudade da força de expectativa, saudade do poder da concretização... Tenho um projecto para abraçar e não tenho força nos braços para, sequer, os levantar.

25 de julho de 2011

Ave rara (eu)

Em relação a isto ou isto, serei eu a única ave rara que acha que o livre arbítrio e as escolhas que fazemos para nós, fazem-nos exactamente o que e como somos. E que estes dois factores para além de tudo nos tornam responsáveis ao limite máximo pelas nossas atitudes?

Brincar com o FOGO

Dedicadas a quem gosta de brincar com o fogo!

You know what I mean





23 de julho de 2011

Fangoria - A quien le importa

La horterada que no me sale de la cabeza hoy!

"La gente me señala
Me apuntan con el dedo
Susurran a mis espaldas
Y a mi me importa un bledo" la la la


14 de julho de 2011

F#$%&## para o trabalho!

Professor de espanhol procura emprego nas limpezas... Limpo casas, escadas de condomínios, etc.! De certeza que ganho mais e me fodem menos o juízo!

2 de julho de 2011

Praia




Este búzio estava na praia da Fonte da Telha, à beirinha da água, meio enterrado e vivinho da silva. Muito bonito e cada vez mais raro de encontrar. No mesmo dia, umas horas antes, enquanto estava no mar, passou por mim uma alforreca :s. A sorte foi que eu lhe devo ter parecido demasiado grande para atacar! :D

Praga 2

Melhor que a praga do instrutor só mesmo: "Que sejas revisor de pautas e actas no final do ano e com quatro turmas finalistas, que tenhas que rever 15 pautas por cada turma, uma acta e registos biográficos que nunca mais acabam."

As Peugas de Einstein


Fui ver hoje e sinceramente não gostei muito. A parte da comédia da coisa deixa muito a desejar, a tentativa de choque é lugar comum e a vertente de intervenção é tão metida à força e, novamente, com tantos lugares comuns que quase não marca. Claro que não ajuda a sala 2 da Barraca, onde não se consegue estar mais de meia hora sentado sem arranjar uma dor de costas para o resto do fim de semana!

30 de junho de 2011



‎"Sofremos muito com o pouco que nos falta e gozamos pouco o muito que temos."
William Shakespeare (1564-1616)

E eu pergunto-me... teremos assim tanto, ou melhor, faltar-nos-à assim tão pouco? Ok, acredito que às vezes devia aproveitar um bocadinho mais do pouco que tenho, mas na verdade estou aqui mesmo para chegar ao muito que me falta... e ultimamente tem-me faltado muito.

29 de junho de 2011



No hay ningún viaje malo, excepto el que conduce a la horca.
Miguel de Cervantes...

Eu até gosto de viajar, mas não sei se acredito nesta frase. Primeiro porque já tive viagens realmente más, talvez não tão más como o caminho para a forca mas, de qualquer modo, francamente más (e entenda-se que viajar é, sem dúvida nenhuma, o que mais gosto de fazer na vida). Depois, existe a carga semântica da palavra viagem. Quando entendida num sentido mais lato, viagem é muito mais que ir de um sítio ao outro. Vejamos:

viagem
(provençal viatge, do latim viaticum, -i, provisões ou dinheiro para a viagem)
s. f.
1. O acto! de transportar-se de um ponto a outro distante.
2. Mar. Navegação, travessia.
3. Percurso efectuado!.
4. Relação escrita dos acontecimentos ocorridos numa viagem e das impressões que ela causou.
5. Infrm. Estado alucinatório provocado pelo consumo de certas drogas.

Pensando em "percurso efectuado" a vida e todos os momentos que nela vão passando não são mais que viagens dentro da grande viagem e acredito piamente que alguns desses percursos seriam bem mais aliviados se soubéssemos que no fim do caminho estaria a forca.

27 de junho de 2011

Conversa com uma galega que o mundo tende a achar louca e onde eu encontrei uma amiga ocasional (ainda estou para discernir este termo – amiga ocasional)

Ela: Oye, y ¿cómo está todo ahora? Me pareces mejor, pero uno nunca sabe… ¿Esos problemillas que tenías han pasado?

Eu: Bueno, primero no fueron problemillas, fueron problemas de verdad y luego, nena, pasar nunca pasan, pero la verdad es que me siento mejor, creo que un día todo se arreglará.

Ela: ¿Sabes qué? Para ser feliz tienes dos posibilidades – o cambias la realidad o bajas las expectativas.

Eu: No me jodas… Cambiar la realidad solo si lo dejo todo, si me hago las maletas y me voy a vivir a Argentina. Y bajar las expectativas… ¡ni sé cómo hacerlo!

Ela: Piénsalo… si bajas las expectativas todo de arregla.

Eu: ¿y si no tengo más expectativas que bajar?

Ela: Te jodes y te vas a Argentina a bailar el tango en la acera y vivir de unas monedas que te echen.

Será mesmo verdade? Baixar as expectativas ou mudar a realidade? Tenho pensado nesta conversa frequentemente e, na verdade, faltam-me argumentos que a contraponham!

23 de junho de 2011

Precisava

Precisava que se abrisse uma porta, uma janela, um túnel com uma luz lá bem no fundo. Precisava ser outro porque, sendo quem sou, não preencho os espaços que o passado deixou vazios e completo espaços que não são meus.

Incomodam-me a debilidade dos outros e não suporto fraquezas, talvez porque me julgue forte, talvez porque tenha aprendido a vencer a pulso.

Olho à minha volta e percebo que nunca tive tanto mas percebo, também, que ainda tenho uma vida de conquistas pela frente. Não posso aceitar grilhões a sonhos que me propus, isso nunca… posso apenas deixar tudo em banho-maria. E olhando à minha volta, percebo que tudo o que tenho é nada porque tudo passa a nada quando não se vive inteiramente as conquistas de uma vida.

Precisava que se abrisse uma porta, uma janela, um túnel com uma luz lá bem no fundo e eu pegava na mão de quem amo e fugia para sempre. E se a porta fosse pequena, fundir-nos-íamos num só, se a janela fosse alta, voaríamos juntos e se o túnel fosse longo demais, pegava-te ao colo sempre que te cansasses.

E se se abrisse uma porta, uma janela, um túnel com uma luz lá bem no fundo só precisava de saber que virias comigo.

23 de maio de 2011

Praga

Se um dia destes tiver que rogar uma praga a alguém será mais ou menos assim: "Que sejas instrutor de um processo disciplinar!" :s

22 de maio de 2011

4 Noites 4 Espectáculos


22/05/2011

Carte Blanche à Cia. Emilia Tau

Espectáculo de antipodismo... de fugir a sete pés (passe o trocadilho)!


21/05/2011

A Colina

Tragédia passada na época colonial nos Estados Unidos. Um original com bastante qualidade, bom cenário, uma surpresa. Surpreende, tratando-se de um grupo amador (o que se nota um bocadinho, mas só às vezes) deixa-nos "pendurados" até ao fim.


20/05/2011

do Desassossego

Uma adaptação excelente e uma representação ousada o Carlos Paulo. Muito fiel ao texto de Fernando Pessoa o que, para quem gosta, será excelente. Fez-me voltar aos 15 anos, àquele ano em que li o Desassossego e não gostei. Continuo a não gostar, na verdade, a lucidez de Pessoa nunca me surpreendeu... mas isto são outros contos.



19/05/2011

Nu Limite

Espectáculo de stand-up, com de bom ou mau que possa trazer tal designação. Na verdade passa-se uma hora agradável. Piadas suaves, nada que faça cair o tecto ou vibrar a plateia mas agradável. Com uma excelente interacção com o público, creio que o texto poderia ser um pouco mais flexível.


14 de maio de 2011

Pedido feito...
Data escolhida...
Agora é escolher a fatiota!






12 de maio de 2011


Mapas, o novo álbum de Vetusta Morla. Muito morninho comparado com o primeiro!

Saber mentir


Creio que não será só uma questão de habilidade, senão de consciência.Um bom mentiroso tem que, além de ser convincente, não ter pesos de consciência, não tentar emendar o erro e não fazer compensações Kármicas! Se não sabem mentir o melhor seria, sem dúvida, assumir a merda que se vai fazendo, não é assim?

1 de março de 2011


"I sometimes wish I'd never been born at all"... Como é que uma pessoa se pode sentir tão realizada e tão vazia ao mesmo tempo, num tempo de vida só. Às vezes acho que espero demais das pessoas, outras acho, simplesmente, que tenho que exigir que estejam à minha altura. Felizmente aprendi a amar-me muito mais que ao resto do mundo... e a minha sanidade mental vai-se mantendo. De qualquer modo, por muito que as portas custem a fechar eu fecho-as sempre sem olhar para trás. "Goodbye everybody, I've got to go" por enquanto para uma noite de sono em claro. Amanhã decidirei o novo caminho, porque nunca tive medo de encruzilhadas e caminhos atribulados, porque sempre escolhi os meus caminhos, e porque sempre soube o que é bom para mim. Serei um eterno insatisfeito ou simplesmente alguém que procura ao fim do caminho uma clareira onde encontrará o que o preenche verdadeiramente.