6 de setembro de 2011

Onze anos

Um dia a minha mãe disse-me que se sonhasse com alguém que tivesse morrido, devia rezar-lhe uma oração. Possivelmente essa pessoa necessitaria da minha ajuda. 
Disse-te isto no último dia que nos vimos. Hoje sonhei contigo e pensei em ti todo o dia, como não podia deixar de ser, hoje é o primeiro dia de uma semana que para sempre marcará a minha caminhada. Não te dou uma oração, dou-te a tua música preferida, a que me pediste e a que te prometi e a que que cumpri. Obrigado por me teres escolhido a mim para os últimos momentos, obrigado por tudo o que me ensinaste e tudo o que me mostraste, mesmo já sem poderes falar, só de segurar a minha mão até ao teu último momento. 
Passaram quase onze anos, dentro de uma semana ouvirei de certeza esta música outra vez, agradecer-te-ei outra vez e outra vez vou sentir o peso do teu corpo a fugir-me da mão. Espero que, onde quer que estejas, tenhas encontrado o que procuravas, o que procuramos tantas vezes juntos. Eu ainda não sei se encontrei. Realizei todos os sonhos que te segredei durante esta semana há onze anos atrás. TODOS, os meus e os teus. TODOS. Construí sonhos novos e estou a trabalhar neles. Encontrei alguém que amo - o sonho maior que tinhas a certeza de que nunca nenhum de nós cumpriria. Descobri que estávamos enganados em relação a muitas coisas, principalmente iludidos em relação ao mundo. Tenho a certeza de que, se tivesses querido lutar, hoje serias um homem feliz, mas não foi esse o caminho que escolheste e, como te apoiei então, continuo a apoiar-te e, principalmente, a entender-te hoje.
Onde quer que estejas, olha por mim, eu canto por ti. Talvez um dia possa ver a felicidade espelhada no teu rosto. Um abraço, amigo.


4 comentários:

Zoninho disse...

excelente texto e excelente homenagem. que assim seja. em 10 anos muita coisa muda, mas que felicidade - e o sentido de missão cumprida - seja a recompensa.

Renato Miguel Araújo disse...

Obrigado Zoninho.
Na verdade demorou todo este tempo para eu conseguir escrever sobre este assunto. Foi um episódio da minha vida que me marcou e me mudou para sempre. Pelo que escrevi não dá para perceber a intensidade da vivência. Quem sabe um destes dias conte a história do principio ao fim.
Abraço

Zoninho disse...

podes sentir-te insatisfeito com o texto, que ainda não diga tudo... mas dá para perceber bem que foi marcante. quanto a tudo o resto, ao contexto da partida, quase poderia dizer que é o absoluto mistério. não é importante para perceber que foi importante para ti. abraços

Renato Miguel Araújo disse...

A insatisfação com o texto parte da visão redutora que dá da história. Foi, talvez, a semana mais intensa da minha vida e fez-me o que sou hoje. De qualquer modo não queria contar a história toda, queria apenas recordar em palavras.
Abraço